• R$ 27,90

Descrição da editora

Neste conjunto de cinco ensaios George Zarur aborda não somente temas cruciais à interpretação antropológica de matérias contemporâneas, como faz uma conclamação para que países latino-americanos reconsiderem sua história e balizem suas políticas de integração social em modelos que tenham por base experiências vividas, às vezes sangrentamente experimentadas, que rejeitem paradigmas racistas, em prol da construção da etnicidade libertária como categoria política. A distinção entre raça e etnia é ponto de partida fundamental. Longe de imaginar que o racismo esteja afastado de nosso horizonte, o autor faz as distinções necessárias e lógicas, onde ressalta que a etnia é a construção social da identidade e que raça é uma determinação biológica, instrumental para políticas de discriminação e segregação social. O Estado criou e cria as nações modernas, de acordo com dois modelos básicos: o Imperial (Estados Unidos e Inglaterra), onde há nações, povos, estados interiores, que têm no multiculturalismo sua estratégia de armistício entre seres que não se integram, realmente; e Republicano (França), onde há povo, nação e estado integrados pelos mesmos códigos, usos e cultura. Como a época é de enorme conflagração entre etnias é preciso sublinhar as razões dos fracassos, em ambos os casos. Daí a consideração da associação entre religião e identidade nacional, por exemplo, que explica a resistência de pessoas muçulmanas à globalização, sendo que nas Américas haveria três situações em que projetos culturais têm no centro a etnicidade como política: Estados Unidos, Brasil e Cuba. Uma excelente e provocante leitura! Benício Schmidt – Editor

GÊNERO
Não ficção
LANÇADO
2015
15 setembro
IDIOMA
PT
Português
TAMANHO
136
Páginas
EDITORA
Verbena
VENDEDOR
ACD LIVROS DIGITAIS LTDA
TAMANHO
2.4
MB

Mais livros de George Zarur