O Desenho Arquitetônico

fenomenologia e linguagem em Joan Villà

    • R$ 24,90
    • R$ 24,90

Descrição da editora

Por que a filosofia de Merleau-Ponty possui uma potência que se estende para o mundo contemporâneo? O filósofo define o pensamento de sobrevoo como o "projeto de posse intelectual do mundo domesticado pelas representações construídas pelo sujeito do conhecimento". Nos dias de hoje, esse pensamento sem "restos", construído pelas ciências para impedir a penetração do contingente e do sensível na realidade social permanece atual, pois torna-se imprescindível para as empresas e estados minimizar riscos de negócios, adquirir vantagens competitivas e a criatividade permanece refém desses interesses. Para Merleau-Ponty na aridez da realidade instituída ou dada como fato, encontram-se hiatos nos quais o invisível, o impensado, desvelam-se no labor de artistas, pensadores, arquitetos, que abrem uma trilha para a experiência do Ser "que exige de nós criação para que dele tenhamos experiência". É essa carência do Ser que possibilita o ato criativo e certamente moveu a filosofia Merleau-Pontiana para avançar na análise da fenomenologia da linguagem, da intersubjetividade, na busca de uma "autêntica" experiência de comunicação. Assim, estabelecendo uma interface entre a filosofia de Merleau-Ponty e arquitetura, a reflexão proposta neste livro investiga o fenômeno criativo, a gênese de sentido no projeto arquitetônico, utilizando-se dos desenhos na forma de croqui do arquiteto Joan Villà como operação expressiva, que transcende o papel meramente comunicativo da linguagem. No contexto do capitalismo neoliberal, no qual o "eu" torna-se um princípio social, que empobrece sensivelmente o contato do arquiteto com o mundo, sinalizando uma crise de sentidos para a arquitetura, a criatividade, intersubjetividade, o descentramento do sujeito, tornam-se urgentes como poder subversivo ou mesmo princípio político. Nesse ponto, os desenhos do arquiteto Joan Villà são exemplares porque ilustram seu trabalho participativo junto a comunidades carentes de habitação, superando dicotomias como, por exemplo: sujeito/objeto, projeto/execução, estética/técnica, arquiteto/comunidade, imaginário/pensamento, razão/sensibilidade, espaço público/privado, tornando-se assim, porosos com grande força expressiva. É este caminho que a leitura deste livro pretende iluminar.

GÊNERO
Não ficção
LANÇADO
2021
28 de janeiro
IDIOMA
PT
Português
PÁGINAS
196
EDITORA
Editora Dialética
VENDA
Bookwire Brazil Distribuicao de Livros Digitais LTDA.
TAMANHO
6,9
MB