• R$ 32,90

Descrição da editora

“E chegou a Betsaida; e trouxeram-lhe um cego, e rogaram-lhe que o tocasse. E, tomando o cego pela mão, levou-o para fora da aldeia; e, cuspindo-lhe nos olhos, e impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe se via alguma coisa. E, levantando ele os olhos, disse: Vejo os homens; pois os vejo como árvores que andam. Depois disto, tornou a pôr-lhe as mãos sobre os olhos, e o fez olhar para cima: e ele ficou restaurado, e viu a todos claramente.” (Marcos 8:22-25) Em coisas que são visíveis e palpáveis, nunca prove o que já se acredita; em coisas que são certas e misteriosas, por sua grandeza e por sua natureza, faça as pessoas acreditarem nelas, e não as prove. Temer a Deus tornou muitos homens piedosos; as provas da existência de Deus tornou muitos homens ateus. O desafio desencadeia o ataque. Torne a verdade adorável, e não tente armá-la. O Jesus dos quatro Evangelistas, por dois mil anos, exerceu uma influência poderosa sobre o coração, a compreensão e a imaginação da humanidade. Os primeiros tempos precisavam de testemunho; nossa época precisa de ensino. É um dos fatos marcantes da história, aquele cujo ensino iria revolucionar as ideias humanas e criar uma nova era nos assuntos do mundo. Ele não colocou uma única sílaba no papel e não organizou uma única instituição, mas possui um poder ilimitado de agir sobre o mundo apenas pela enunciação de verdades absolutas em sua relação com a conduta humana, uma das marcas da Divindade. Vivemos para fins diferentes. Temos outras aspirações. Somos atormentados por novas infidelidades próprias. Nós somos orgulhosos de uma maneira diferente e vaidosos à nossa maneira. Para atender a todas essas necessidades em constante mudança do coração humano e da sociedade, os homens são ordenados a pregar o evangelho. Se apenas ler o texto como foi originalmente entregue seria o suficiente, por que deveria haver pregadores? É tarefa dos pregadores relembrar e adaptar a verdade, de época em época, aos desejos sempre renovados dos homens. O próprio declarou que seu reino de verdade era como uma semente. Mas o que deve interpretar uma semente como seu próprio crescimento e colheita? O elemento milagroso constitui o próprio sistema nervoso do Evangelho. O que resta quando esses registros veneráveis são despojados do ministério dos anjos, do mistério da encarnação divina, das maravilhas e milagres que acompanharam nosso Senhor em cada etapa de sua carreira? Os milagres de Cristo não foram ocasionais, mas em uma longa série, com todos os graus de publicidade, envolvendo quase todos os elementos da natureza, e em número tão grande que eles são resumidos como abrangendo aldeias inteiras, cidades e bairros em seus benefícios. Eles produziram um excitação na mente do público tão grande que muitas vezes Ele ordenou segredo para que o governo não interferisse. “E aconteceu que, no dia seguinte, ele foi à cidade chamada Naim, e com ele iam muitos dos seus discípulos, e uma grande multidão; E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidão da cidade. E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela, e disse-lhe: Não chores. E, chegando-se, tocou o esquife (e os que o levavam pararam), e disse: Jovem, a ti te digo: Levanta-te. E o que fora defunto assentou-se, e começou a falar. E entregou-o à sua mãe. E de todos se apoderou o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: Um grande profeta se levantou entre nós, e Deus visitou o seu povo. E correu dele esta fama por toda a Judéia e por toda a terra circunvizinha”. (Lucas 7:11-17)

GÊNERO
Biografias e memórias
LANÇADO
2021
11 de janeiro
IDIOMA
PT
Português
TAMANHO
26
Páginas
EDITORA
Clube de Autores
VENDEDOR
Ink it
TAMANHO
274,2
KB

Mais livros de Adeilson Nogueira