Orientação farmacêutica na alta hospitalar do idoso

    • 5,0 • 1 avaliação

Descrição da editora

A internação gera alterações na farmacoterapia dos pacientes, pois nesse período os medicamentos de uso diário podem ser suspensos, substituídos e até acrescentados. Um recurso que sempre deve ser utilizado, desde a admissão da internação hospitalar até o momento da alta, é a reconciliação medicamentosa, que consiste em um processo de adequação do plano terapêutico do paciente com uma comparação entre a lista exata e completa de medicamentos que o paciente estava utilizando anteriormente e a prescrição atual. Essas mudanças nos medicamentos e a falta de informação necessária podem acarretar em uma série de problemas relacionados ao uso de medicamentos.

O farmacêutico hospitalar é o profissional responsável pela orientação de pacientes internados e ambulatoriais, visando sempre à eficácia terapêutica, racionalização dos custos, suas ações visam à promoção, proteção e recuperação da saúde, além da prevenção a outras doenças. Proporcionando cuidado ao paciente e seus cuidadores, promovendo o uso racional de medicamentos e otimização da farmacoterapia com o propósito de melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Ele realiza a reconciliação medicamentosa e a identificação de medicamentos inapropriados para idosos. Orienta sobre a posologia e fornece informações a fim de garantir a compreensão dos usuários e de seus cuidadores.

De acordo com o Conselho Federal de Farmácia (CFF), a Farmácia Hospitalar define-se como “unidade clínica, administrativa e econômica, dirigida por farmacêutico, ligada hierarquicamente à direção do hospital ou serviço de saúde e integrada funcionalmente com as demais unidades administrativas e de assistência ao paciente”. Desenvolvendo atividades clínicas e relacionadas à gestão. O farmacêutico hospitalar deve assumir atividades gerenciais para contribuir com a eficiência administrativa e, consequentemente, com a redução dos custos. Além de contribuir no processo de cuidado à saúde, por meio da prestação de assistência ao paciente com qualidade, que vise ao uso seguro e racional de medicamentos, conforme preconiza a Política Nacional de Medicamentos.

Nos hospitais que almejam certificação da qualidade de serviços de saúde, a farmácia hospitalar deve possuir estratégias que garantam o acesso aos medicamentos com efetividade e segurança comprovadas, ao menor custo possível.

GÊNERO
Profissional e técnico
LANÇADO
2017
30 de junho
IDIOMA
PT
Português
PÁGINAS
33
EDITORA
Nead.Tis
VENDEDOR
Ana Silvia Ferreira
TAMANHO
11,2
MB

Outros clientes também compraram

2017
2011
2021
2015
2011
2011