Beschreibung des Verlags

Um estudo alentado sobre a importância dos africanos livres e escravizados no processo que culminou na aprovação da Lei Eusébio de Queirós, em 1850.

Uma das medidas legais mais conhecidas no Brasil, a Lei Eusébio de Queirós completa 170 anos em 2020. Em pesquisa inédita sobre os antecedentes de sua aprovação, Beatriz Gallotti Mamigonian analisa a lei e a relaciona com aquela que a antecede, de 1831, que já impunha a proibição do tráfico, declarava livres os africanos importados desde então e criminalizava aqueles que mantinham-nos escravizados ilegalmente — e que, por isso mesmo, foi esvaziada.
Revisitando as tensões da política externa nacional com a Inglaterra por novos ângulos, passando pelos debates no Parlamento e no Conselho de Estado e também recuperando passagens por vezes esquecidas, como o plano de revolta escrava de 1848 no Vale do Paraíba, o jornal abolicionista Philantropo — defensor não só da proibição do tráfico como também da punição aos traficantes e autoridades coniventes com eles — e ainda o "episódio Cormorant", somos conduzidos pela pesquisadora por um momento conturbado e decisivo do país, em que o tráfico foi abolido justamente para manter a escravidão.
Este e-book reproduz na íntegra o sexto capítulo do livro Africanos livres: a abolição do tráfico de escravos no Brasil, publicado pela Companhia das Letras em 2017.

GENRE
Geschichte
ERSCHIENEN
2020
28. Oktober
SPRACHE
PT
Portugiesisch
UMFANG
72
Seiten
VERLAG
Companhia das Letras
GRÖSSE
6,8
 MB