Studiolo

    • 9,99 €
    • 9,99 €

Beschreibung des Verlags

Nos palácios renascentistas, Studiolo era o nome dado ao pequeno quarto no qual o príncipe se retirava para meditar ou ler, rodeado pelos quadros que amava de modo especial. Para o autor, este livro é uma espécie de studiolo. Mas não se compreende o que significam para ele as imagens que a todo instante procura ler e comentar se não se compreende que o que está em questão não é um espaço privado, mas sobretudo outra experiência do tempo, que diz respeito a cada um de nós. Benjamin dizia que entre cada instante do passado e o presente há um compromisso secreto e que caso se falte a esse compromisso -- caso não se compreenda que as imagens que o passado nos transmite eram dirigidas justamente a nós, aqui e agora --, é nossa própria consciência histórica que se rompe. A aposta que mantém juntas as obras reunidas no studiolo, com efeito, é a de que elas, ainda que tenham sido compostas num arco temporal que remonta de 5000 a.C até hoje, só agora atingem sua legibilidade. Por isso, apesar da atenção aos detalhes e das cautelas críticas que caracterizam o método do autor, elas nos provocam com uma força, e quase com uma violência, da qual não é possível escapar. Quando compreendemos porque Dostoievski teme perder a fé diante do "Cristo morto" de Holbein, quando a "Lebre" de Chardin se revela de uma só vez a nossos olhos como uma crucifixão, ou a escultura de Twombly nos mostra que a beleza por fim só pode cair, a obra de arte é assim arrancada de seu contexto museográfico e restituída à sua quase pré-histórica origem. E esta e não outra, sugere o autor, é a tarefa do pensamento

GENRE
Sachbücher
ERSCHIENEN
2021
29. Januar
SPRACHE
PT
Portugiesisch
UMFANG
126
Seiten
VERLAG
Editora Âyiné
GRÖSSE
11
 MB

Mehr Bücher von Giorgio Agamben

2012
2012
1606
2012
2018
2017