O Alienista O Alienista

O Alienista

    • 2,0 • 1 valoración

Descripción editorial

A história se passa no século XIX, retrata a burguesia hipócrita da época. O autor se vale do personagem magnífico Dr. Simão Bacamarte (O Alienista) que casou-se com D.Evarista, que não tinha nenhum atributo de beleza, mas tinha todas as chances de dar ao Dr. Simão, filhos robustos e inteligentes. No entanto isso não ocorre, mesmo depois de dietas e ações médicas realizadas por Dr.Simão os filhos não chegaram. Ele então se dedicou ao estudo da medicina e dentro dela se interessou pela neurologia, estudando assim a sanidade e a loucura humana.

Foi então que pediu licença ao governo de Itaguaí para construir uma residência onde os loucos da cidade se instalariam e seriam tratados, favorecendo também o estudo sobre os limites entre a razão e a loucura. D.Evarista tentou desiludi-lo inventado uma viagem ao Rio de Janeiro, mas ele não cedeu.

Assim foi inaugurada a Casa Verde. Dr. Simão estudava e dedicava-se muito ao seu trabalho. Foi então que começou o terror em Itaguaí, Costa foi levado à Casa Verde. Costa havia recebido uma herança que dava-lhe para viver até “o fim da vida”, mas gastou-a toda em empréstimos aos outros indo para a miséria. Todos surpreenderam-se com a prisão de Costa, já que esse era um homem são. Quando a prima de Costa foi pedir a saída dele da Casa Verde acabou também sendo levada e presa. Depois prenderam Mateus, o homem apenas tinha uma bela casa com um belo jardim, a qual vistoriava cedo e à noite, repousava para que os outros admirassem a ele e a casa.

No começo a vila de Itaguaí aplaudiu a atuação do Alienista, mas os exageros de Simão Bacamarte ocasionaram um motim popular, a rebelião das canjicas, liderados pelo ambicioso barbeiro Porfírio. Porfírio acaba vitorioso, mas em seguida compreende a necessidade da Casa Verde e alia-se a Simão Bacamarte. Há uma intervenção militar e os revoltosos são trancafiados no hospício e o Alienista recupera seu prestígio. Entretanto Simão Bacamarte chega à conclusão de que quatro quintos da população internada eram casos a repensar, então solta todos os recolhidos no hospício e adota critérios inversos para a caracterização da loucura: os loucos agora são os leais, os justos, os honestos etc.

No fim do tratamento todos foram postos fora e analisando, Bacamarte verifica que ele próprio é o único sadio e reto, por isso o sábio Dr. Simão Bacamarte internou-se no casarão da Casa Verde, onde morreu dezessete meses depois e recebeu honras póstumas.

GÉNERO
Ficción y literatura
PUBLICADO
2012
19 de marzo
IDIOMA
PT
Portugués
EXTENSIÓN
46
Páginas
EDITORIAL
Textdigital.com.br
TAMAÑO
12,7
MB

Más libros de Machado de Assis

Memórias Póstumas de Brás Cubas Memórias Póstumas de Brás Cubas
2010
Dom Casmurro Dom Casmurro
2012
Poesias dispersas Poesias dispersas
2013
A Cartomante, Machado de Assis A Cartomante, Machado de Assis
2012
Don Casmurro Don Casmurro
2013
Dom Casmurro Dom Casmurro
2016

Otros clientes también compraron

O Cortiço O Cortiço
2018
Dos poemas Dos poemas
1953
Macunaíma Macunaíma
2017
A volta ao mundo em 80 dias A volta ao mundo em 80 dias
2017
O Navio Negreiro O Navio Negreiro
2016
Sherlock Holmes Sherlock Holmes
2015