• USD 6.99

Descripción de editorial

Um romance que parte da vida da lendária Catarina Eufémia

para reflectir sobre a história recente de Portugal.

No epicentro da crise financeira em Portugal, um jornalista demasiado ambicioso decide provar ao seu editor - Raul Cinzas, o inveterado comunista que os leitores de Tordo conhecerão de Biografia Involuntária dos Amantes - que é capaz de muito mais do que ser um mero repórter. Aproveitando a entrevista a um biógrafo de um mártir religioso, o jornalista faz uma analogia com a história de Catarina Eufémia,

a camponesa assassinada, em 1954, por um tenente da GNR a mando da PIDE.

Ícone da Esquerda revolucionária, Catarina Eufémia é uma figura envolta em

mistério e objecto de exaltação, mais de cinquenta anos após a sua morte.

Os ânimos estão inflamados pela contestação à austeridade imposta pelo Governo, e a publicação do artigo provoca acesas reacções na opinião pública. No rescaldo da convulsão, Cinzas é encontrado em coma numa rua de Lisboa, talvez brutalizado por defender o malfadado artigo. Também o jovem jornalista, nosso narrador,

se encontra a braços com uma situação pessoal e profissional precária e se interroga sobre o que existirá por trás do mito para provocar tamanhos ódios e paixões.

É então que decide investigar a vida e a morte de Eufémia, procurando decifrar

o nevoeiro que envolve os mitos e os mártires de que a História sempre se apodera. Inculto da dimensão da ditadura que sufocou o país antes do 25 de Abril, o que descobre no caminho é bem diferente do que esperava.

Sobre a obra de João Tordo:

«João Tordo tem uma capacidade enorme de efabulação que não se encontra facilmente.»
José Saramago

«Tal como o Nobel José Saramago, João Tordo põe em questão, com o seu talento, a crença numa identidade própria à qual nós, os humanos, estamos apegados.»
Le Monde, França

«Um romance que se abre em escuridão e labareda, para que nos vejamos ao espelho.»
José Tolentino Mendonça (sobre O luto de Elias Gro)

«Uma escrita vibrante, capaz de momentos de grande intensidade

expressiva ou de inesperado lirismo.»
José Mário Silva, Expresso (sobre O luto de Elias Gro)

«Há-de guardar lugar próprio e intransmissível entre as melhores obras da literatura portuguesa contemporânea.»
João Gobern, Diário de Notícias (sobre O luto de Elias Gro)

«Tordo não dá respostas. Alimenta cuidadosamente a ambiguidade,

o paradoxo, como se fizessem parte de um silêncio cujo mistério não quer desvendar.»

Isabel Lucas, Público (sobre O Paraíso segundo Lars D.)

«João Tordo cria dois palcos contíguos, que equilibra entre o atrevimento cruel que o realismo comanda e o clima introspectivo que dele resulta, conjugados com particular desenvoltura e absoluta eficácia.»

Lídia Jorge (sobre O deslumbre de Cecilia Fluss)

«Um romance extraordinário, que se lê à transparência de um talento mais do que confirmado, porventura único entre nós, na primeira linha das vozes literárias da geração a que pertence.»
João de Melo (sobre O deslumbre de Cecilia Fluss)

«A trilogia dos lugares sem nome, assinada por João Tordo, está entre

o melhor que a literatura portuguesa nos ofereceu nos últimos vinte

ou trinta anos.»
Pedro Miguel Silva, Deus me livro

«Uma narrativa com um cunho muito próprio e um dos registos mais pessoais e intensos desta geração.»
João Céu e Silva, Diário de Notícias (sobre Ensina-me a voar sobre os telhados)

«Um romance poderoso, inquietante e profundamente lírico.»
Helena Vasconcelos, Público (sobre Ensina-me a voar sobre os telhados)

GÉNERO
Ficción y literatura
PUBLICADO
2019
julio 5
LENGUAJE
PT
Portugués
EXTENSIÓN
336
Páginas
EDITORIAL
Penguin Random House Grupo Editorial Portugal
VENDEDOR
Penguin Random House Grupo Editorial, SAU
TAMAÑO
1.9
MB

Más libros de João Tordo