Descrição da editora

Este livro o vai naturalmente encontrar em seu pitoresco sítio da várzea, no doce lar, a que povoa a numerosa
prole, alegria e esperança do casal.
Imagino que é a hora mais ardente da sesta.
O Sol a pino dardeja raios de fogo sobre as areias natais; as aves emudecem; as plantas languem. A natureza
sofre a influência da poderosa irradiação tropical, que produz o diamante e o gênio, as duas mais sublimes
expressões do poder criador.
Os meninos brincam na sombra do outão, com pequenos ossos de reses, que figuram a boiada. Era assim que eu
brincava, há quantos anos, em outro sítio, não mui distante do seu. A dona da casa, terna e incansável, manda abrir
o coco verde, ou prepara o saboroso creme do buriti para refrigerar o esposo, que pouco há recolheu de sua
excursão pelo sítio, e agora repousa embalando-se na macia e cômoda rede.
Abra então este livrinho, que lhe chega da corte imprevisto. Percorra suas páginas para desenfastiar o espírito
das cousas graves que o trazem ocupado.
Talvez me desvaneça amor do ninho, ou se iludam as reminiscências da infância avivadas recentemente. Se não,
creio que, ao abrir o pequeno volume, sentirá uma onda do mesmo aroma silvestre e bravio que lhe vem da várzea.
Derrama-o, a brisa que perpassou os espatos da carnaúba e a ramagem das aroeiras em flor.
Essa onda é a inspiração da pátria que volve a ela, agora e sempre, como volve de contínuo o olhar do infante
para o materno semblante que lhe sorri.

GÉNERO
Ficção e literatura
LANÇADO
2013
29 de junho
IDIOMA
PT
Português
PÁGINAS
121
EDITORA
Public Domain
TAMANHO
363,9
KB

Mais livros de José de Alencar